quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Evento para crianças com Diabetes no Rio de Janeiro

Mamães e Papais de crianças diabéticas do Rio de Janeiro, essa é uma oportunidade de conhecermos outros pais e nossos filhos outras crianças com diabetes.
 "O valor emocional de se relacionar com outras crianças é muito importante. Procurem que conheça pessoas com diabetes que levam uma vida plena e feliz, porque isto o ajudará enor-memente. É importante incentivar a busca de outros apoios, como junto aos seus amigos. Incentive a sua participação em grupos de adolescentes com diabete, isto oferecerá uma excelente oportunidade para compartilhar dúvidas e problemas com outras pessoas da mesma idade, com as quais não tem laços familiares e que tenham a mesma disfunção."
Texto retirado do site da Associação dos diabeticos de Vale do Itajaí

Dia Mundial da Criança com Diabetes
Para Baixinhos e seus médicos
Local: Botafogo — Casa de Festas Arca dos Sonhos
Data: 15/11/10 de 13:00 às 16:00
Obs 1.: As Inscrições serão revertidas em cortesias para crianças carentes
Local:
 Local: Rua 19 de fevereiro, 22—Botafogo
Contribuição por criança com direito a 1 acompanhante  + DVD da filmagem da festa
para depósitos até 30/09/10
R$ 30,00
para depósitos até 30/10/10
R$ 40,00
para depósitos até 15/11/10
R$ 50,00
Antecipe seu pagamento e tenha vantagens

Dados para o depósito 
Banco Itaú
ag 1185
c/c 33664-9
Favorecido Diabest
Atenção: Levar o comprovante do depósito para nossa organização no dia do evento
OBS: Pedimos que venham vestidos de azul para adesão à campanha Mundial da IDF — “Unidos pelo Diabetes”. 

Caso efetuem o deposito, é fundamental a inscrição no site
http://diabest.com.br/prox_evento6.htm
Maiores informações pelo telefone:
(21) 3045-9544
Aguardo vocês lá!!!!




segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Hemoglobina Glicada/Glicosilada (HbA1c)


 Como disse a Nicole, "Falhei no Provão", No exame de Hemoglobina Glicada eu não espera o mesmo valor do trimestre passado, mas me assustei com o resultado de 7,4%, esse é o valor mais alto desde o diagnóstico, me senti muito mal.
Vacilei, relaxei, ele ingeriu mais gorduras do que o normal, enfim, permiti que ele satisfizesse suas vontades gastronómicas além do permitido, mesmo usando mais a Novorapid, mesmo com contagem de carboidratos.
Já conversamos a respeito, expliquei o que esse resultado significa...
Acredito que parte desse resultado seja por conta do descontrole que está ocorrendo na hora do lanche na escola, isso pra mim já é um problema com data para ser resolvido, na planilha de controle glicemico é visível o reflexo do lanche antes do jantar.
Somado aos excessos de SIM, não dá para ficar penalizada, tem dias que o NÃO tem que prevalecer, sem culpa.
Já mudamos algumas regrinhas, ele concordou com todas, ontem até comeu salada de beterraba ralada crua com tomate sem reclamar. meu filho é um amor!!!
Mas nesses exames nem tudo foi ruim, pós diagnóstico fizemos o exame PeptideoC e tivemos o resultado de 0,1ng/ml, isso foi em agosto/2009 um ano depois quando esperávamos que o pâncreas dele ja estivesse zerado fomos surpreendidos com o resultado de 0,4ng/ml, bem abaixo do minimo que é de 0,9ng/ml mas é bom saber que o pancreas dele ainda suspira, ainda sobrevive.
Bom, pra quem não sabe, esses exames são necessários para o ajuste das doses de insulina, o peptideoC para saber o quando de insulina o pâncreas ainda produz, geralmente é pedido quando o diabético tem variadas crises hipoglicemicas.
Na ultima consulta antes do exame o Medico ja havia percebido o impacto do descontrole alimentar antes do jantar, deixou um outro esquema de insulina caso os numeros persistam em chegar ao jantar acima de 130mg/dl, não vou esperar, ja vou coloca-lo em pratica.
Agora é fazer o que tem que ser feito, consertar os erros e focar no proximo exame.

Algumas explicações sobre HEMOGLOBINA GLICADA:
As hemoglobinas glicadas são formadas pela adição espontânea de glicose ao grupo amino terminal livre das proteínas hemoglobínicas, por reações não enzimáticas.
A HbA1c deve ser monitorada a cada três ou quatro meses em pacientes diabéticos estáveis e, a cada um ou dois meses , em pacientes diabéticos com pobre controle glicêmico.
Grávidas diabéticas (especialmente do tipo I) são avaliadas uma a duas vezes ao mês para um controle mais efetivo.
A terapêutica insulínica deve ser ajustada em pacientes diabéticos, se a HBA1c ultrapassar 10%. Na monitoração de diabéticos, variações de 2% entre duas avaliações é considerada clinicamente significante e indicativa de um melhor ou pior controle glicêmico.

Cuidados na interpretação dos resultados de HbA1c: Valores maiores que os esperados:
O paciente pode estar “manipulando” os valores de glicemia ( uso de hipoglicemiantes) ou conseguiu melhorar o controle glicêmico nas duas semanas anteriores ao exame.
Existe a possibilidade de a glicemia estar mais elevada em períodos que não habitualmente avaliados (p.ex: entre as refeições)
Anemia por carência de ferro, vitamina B12 ou folato constitui um fator que pode levar a um valor falsamente elevado por aumentar a sobrevida das hemácias.
 As metas em crianças e adolescentes:
As metas ideais para a A1C em crianças e adolescentes ainda não estão rigidamente determinadas, diferentemente do que ocorre com os indivíduos adultos. Com o aumento da prevalência do diabetes nos jovens e o uso crescente da concentração de A1C como indicador do controle da glicemia, é importante o desenvolvimento de níveis de referência e padrões de bom controle para essa faixa etária. No estabelecimento dos objetivos para um bom controle glicêmico nas crianças e adolescentes, os principais aspectos que devem ser considerados são:
  • Crescimento e desenvolvimento adequados. 
  • Baixo risco de hipoglicemia (principalmente em crianças com menos de 8 anos de idade, quando o desenvolvimento neuroló- gico ainda não está completo). 
  • O nível de controle glicêmico na faixa pré-puberal também é importante para prevenir o desenvolvimento futuro de compli- cações crônicas do diabetes. 
  • Durante a puberdade, há um aumento dos níveis de A1C. 
A frequência de testes de A1C na infância e na adolescência vai depender das disponibilidades locais e do nível de controle alcançado, podendo variar de 2 a 4 por ano. É aconselhável que se tenha, pelo menos, uma avaliação de A1C por ano. A American Diabetes Association recomenda que as metas de A1C sejam definidas, também, em função dos níveis de glicemia pré-prandial, como mostra a tabela Metas de glicemia (mg/dL) IFA
 
IDADE
Hb1Ac

0 - 6
Entre 7,5 e 8,5

• Alto risco e alta vulnerabilidade a hipoglicemias
6 - 12
< 8

• Risco de hipoglicemia e risco relativamente baixo de complicações antes da puberdade
13- 19
< 7,5

• Risco de hipoglicemia grave.
• Problemas psicológicos e de desenvolvimento.
• Meta de <7% é razoável se puder ser atingida sem risco de hipoglicemias importantes

Metas de A1C e de níveis glicêmicos para crianças e adolescentes – American Diabetes Association – 2008

domingo, 26 de setembro de 2010

Criança também tem Diabetes


Programa Bom Dia Rio - 22/09/2010
A informação é o mais importante no controle do Diabetes.
O Matheus é neto da D.Solange, temos nos falado pelo orkut, nesta materia descobri que moramos perto, deixo aqui o convite para um encontro dos nossos docinhos, e por falar em encontro, teremos um evento no Rio só para crianças com diabetes:
Dia Mundial da Criança com Diabetes
Realização:
Fico muito feliz, desde que o Igor foi diagnosticado esse será o primeiro evento voltado para  a criança com diabetes que iremos participar, espero poder encontrar algumas leitoras cariocas por lá.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Milagres existem?



video
Este drama baseado em fatos reais narra o julgamento de um casal da Califórnia (Judge Reinhold e Rosanna Arquette), acusado de homicídio depois que seu filho diabético morreu porque esconderam a sua insulina, devido à sua crença de que um milagre de Deus iria salvá-lo.
Milagres existem???
Claro que existem e acontecem, todos os dias, na minha vida, na sua, na de todo mundo.
Esse dias eu fui surpreendida com um pedido do pai do Igor, bom... ele sabe que quem manda na cria sou eu...
- Deixa eu levar o Igor numa igreja?
Hã? Como assim? Qual o objetivo?
Sou a favor de toda e qualquer criança conhecer uma religião, eu fui educada segundo a doutrina de uma, acredito que o mundo esteja deste jeito por falta de religião. Não só apoio como incentivo.
Mas o objetivo era outro, ele ia em busca da CURA.
NÃO!!!!
É desumano levar uma criança a um lugar que promete a cura, sem ela nem ao menos entender o que é um milagre. Com meu filho NÃO!!!
Todos os dias eu vejo um milagre, que infelizmente ele não vê, eu vejo vida nos olhos do meu filho, eu vejo a satisfação com que ele se cuida, eu vejo Deus ajustando as coisas para que o controle do diabetes seja possível. Os milagres existem para coisas impossíveis, viver com diabetes é possível.
Na bíblia tem muitas historias de cura, naquela época não existiam medico nem cientistas, se alguém adoecia, morria. Acho que Deus terceirizou um pouco do seu trabalho através da medicina.
É um milagre quando acordo no meio da noite com vontade de medir a glicose do Igor e ela está baixa, é um milagre eu poder cuidar do meu filho, é um milagre podermos oferecer a ele todos os dias uma alimentação saudavel, é um milagre que acontece todos dias, podermos ter saúde para manter a dele, é um milagre termos encontrado medicos maravilhosos pelo caminho... há sempre um milagre...
-- E quem que você acha que faz tudo isso?
Isso é pergunta pra me irritar, só pode, com certeza não é um pastor caça-níquel....

Este vídeo acima é o trailer de um filme que parece ser bem interessante, não consegui encontrar, estou louca pra assistir, "PROMESSA DE UM MILAGRE" retrata o drama de uma familia que acreditou na cura de seu filho diabético.
Se você acredita na cura é preciso parar de aplicar insulina, e se você parar de aplicar insulina seu filho pode morrer, com quem você fica?
EU FICO COM A INSULINA

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Um dia inesquecível!!!


Ontem levei o Igor a pediatra, Drª Valeria, ela o acompanha desde que nasceu e sabe o que é a parte mais interessante disso? Ela é diabética há vinte anos.
O suporte que ela nos deu enquanto o Igor esteve internado foi primordial para o nosso equilíbrio pós hospital, nunca nos deixou perder a esperança de dias melhores.
Graças a Deus temos ido a consulta apenas para atualizar a ficha do Igor, ela é uma ótima homeopata, e apesar de não precisarmos da consulta é importante manter os dados sempre atualizados, no caso de uma necessidade ela já tem todas as informações.
Quando chegamos ao consultório ela nos disse:
 - Jamais vou esquecer aquela manhã de sabado!!!
Nós também não!!! E eu não sei o que teria acontecido se não estive passado no consultório antes de seguir para a emergência. Saímos de lá com o diagnostico que não sei se o hospital estava capacitado para descobrir.
Ela é uma pediatra homeopata voltada para o lado psicológico dos fatos, e conversamos bastante.
Quando mencionei a bomba de insulina, ela questionou ser uma boa, já que ele está ótimo.
-Ele quer porque é novidade, e depois que deixar de ser novidade? É um investimento grande, tem certeza que ele está preparado?
É ISSO QUE EU TENHO ME PERGUNTADO.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Diabetes e Jiu Jitsu

Atendimento medico no dojô

É a temporada de torneios e campeonatos.
A maioria são campeonatos seguros na medida do possível, tem para médicos e ambulâncias nos locais, o atendimento em caso de lesão é imediato, acontece ainda no dojô, qualquer reclamação de dor o competidor é avaliado por um medico pra saber se pode ou não continuar  a luta.
No Ultimo que nós fomos, vi um rapaz de mais ou menos 20 anos, deslocar o ombro de bobeira, ele recebeu um golpe com o próprio kimono, é daqueles golpes que não dá pra sair, ele tentou até acabar o tempo de luta e no final só não chorou não sei porque. É o Igor de amanhã.
O Igor não participou do campeonato por causa da variação na glicemia causado pela ansiedade, como ele sabia que não ia lutar, chegamos no torneio com números otimos, precisamos até fazer refeições extras.
No próximo ele também não vai, no treino durante a semana ele fez não fez o que deveria fazer e arriscou uma lesão no cotovelo, o treinador conhece seus atletas, sabe de suas reações, mas um juiz não pode parar uma luta por que acha que o atleta não vai reagir, vale medalha.
Eu fico imaginando minha reação caso meu filho precise de atendimento no dojô, tem uma grade que nos separa do local da luta, ficamos longe, eu piro.
Arena de lutas simultâneas
O grande problema é, quando são chamados para a área de concentração não lutam de imediato, as vezes ficam lá por mais uma hora, as medições de glicemia só podem acontecer antes deles serem apresentados pelo treinador, ainda não consegui informações se pode acontecer diferente, quanto a hipoglicemia durante a luta não me preocuparia se pudesse medir no exato momento de entrar no dojô.
E tenho certeza de que o Igor não ficaria nada satisfeito de entrar no dojô apenas para não ser desclassificado e ver o braço do oponente ser levantado sem luta.
Não consigo uma resposta segura dos médicos quanto a aplicação de insulina antes da luta, são apenas 3 minutos, mas de muito esforço muscular, eu vejo como o Arthur sai exausto do dojô, são 3 minutos intermináveis pra mim.
Bom, no próximo domingo teremos outro campeonato, o Arthur vai lutar e o Igor vai como espectador, enquanto assistimos as lutas procuro mostrar o que não fazer e sempre não deixando passar em branco os resultados de não aceitar que foi derrotado.
Meu medo? Ele lesionar seriamente o cotovelo ou o ombro ou sofrer uma crise de hipoglicemia durante a luta.
No domingo, vou me informar sobre o dextro antes da luta, se é possível ele levar o glicosimetro para a concentração, ele quer ser um campeão, mas um campeão se faz com responsabilidade.
Quanto a hiperglicemia, o Arthur sugeriu que o inscrevesse e só avisasse que ele vai lutar quando fosse chamado, daria tempo dele lutar antes de alcançar números assustadores, é uma boa? Não sei....
Acho que ele deve aprender desde agora a lidar com a própria ansiedade, aprender a controla-la, hoje eu posso tentar dar uma volta nela, mas amanhã o mundo não fará a mesma coisa com ele só porque é diabético.
Vamos prepara-lo para a temporada 2011.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

O que é melhor para a mãe de um Diabetico, é melhor para o Diabetico?




Temperatura 35º, Umidade relativa do ar 25%.

As coisas não ficaram nada agradáveis por aqui, sem contar a tosse... por aqui apenas o Arthur, alérgico químico, não se afetou. Se não bastasse, depenaram o eucalipto aqui da rua e não encontro pra comprar.
Bacia com cha de eucalipto no quarto é a unica solução para o Igor nesses dias.
Então, lá vem a senhora sinusite dar o ar de sua graça, foi logo mostrando a que veio, glicemias acima de 200, o tempo todo, a dita cuja ignora a NovoRapid.
Mas isso não é nada... ver o Igor desiludido com os números é que me arrasa...
Ontem depois de mais um dextro ele mandou essa:
-Mãe não adianta, perdemos o controle, não adianta nada aplicar insulina.
Passou uns dias meio carente, triste mesmo. Hoje até deu uma animada, mas a cabecinha dele está nos números, não devia ser assim, ele é só uma criança...

Minha mãe vendo todo aquele sofrimento dele por controlar a glicose, decidiu dar a  bomba de infusão de insulina, eu não queria que fosse assim...
Quando dizem que avó é mãe duas vezes não mentem, e ainda tive de ouvir bronca, como eu ainda não sabia qual era a melhor? quanto custa exatamente? qual o valor da manutenção? os pós e contras? Sei lá.... as vezes acho que minha mãe acredita que deu a luz a uma enciclopedia...
Estou buscando opiniões na Internet, de pessoas que já usam o SIC, a Nicole fez um texto otimo sobre o assunto, mas ainda me preocupo com o aspecto psicológico, eu não ia querer andar com um aparelhinho grudado na minha barriga, será que o Igor vai querer? Imagine fazer um investimento desse porte e depois ele me dizer que não quer mais usar...
Nós visamos o melhor pra ele, mas será que  que eu penso ser o melhor realmente é?
Mal ou bem aplicando insulina com caneta, na maior parte do tempo ele não tem nada de diferente das outras crianças, as vezes precisa fazer dextro diante delas e é até engraçado, outro dia um menino perguntou se colocava as fitinhas na axila pra medir a glicose, outro achou a caneta IRADA, "-Poxa Tia, toda injeção podia ser assim, eu odeio seringas!"
Talvez tantas duvidas sejam porque ja nos adaptamos com a rotina, ja nos adaptamos as aplicações.
São tantas outras adaptações...
Precisamos chegar a quantidade de insulina segura para a aplicação do bolus, ainda é instável.
Eu realmente não acredito que ele possa praticar jiu jitsu com o aparelhinho na cintura.
São tantas duvidas...
Ele se animou com a possibilidade de ter o melhor tratamento para o diabetes, ele adora novidade, ama tecnologia, mas será que se agradará de uni-la ao seu corpo?

Enquanto buscamos informações peço todos os dias por chuva, só um pouquinho... E que esse inverno seco passe logo!!!!